A PRIMEIRA TURNÊ DO BLACK SABBATH COM RONNIE JAMES DIO NOS VOCAIS

Em abril de 1979, Ozzy Osbourne foi demitido do Black Sabbath. Tony Iommi explica a decisão com detalhes em seu livro Iron Man: My Journey through Heaven and Hell with Black Sabbath (leia abaixo).

“Estávamos juntos fazia uma década, mas chegou a um ponto onde não conseguíamos mais nos relacionar uns com os outros. Havia tanta droga rolando, cocaína e Quaaludes e Mandrax, e havia bebida e longas noites e mulheres e tudo mais. E daí você fica mais paranoico e pensa, eles me odeiam. Nunca brigamos, mas é difícil se comunicar com as pessoas, se relacionar e resolver as coisas quando todo mundo está louco”.

O desgaste entre Ozzy e os demais integrantes da banda havia começado pelo menos dois anos antes. Em 1977, o vocalista chegou a ser afastado do grupo e substituído por Dave Walker (Fleetwood Mac, Savoy Brown), mas essa formação não durou muito (Iommi reconheceu que o estilo de Walker não tinha muito a ver com o Black Sabbath e convidou Ozzy de volta).

Na foto, uma das formações menos lembradas do Black Sabbath, com Geezer Butler, Tony Iommi, Dave Walker e Bill Ward.

Abaixo, uma versão de “Junior’s Eyes” gravada ao vivo no programa Look! Hear! (BBC) em 1978, com Dave Walker nos vocais. No mesmo ano, a faixa seria lançada no álbum Never Say Die! (já com Ozzy Osbourne de volta à banda).



Tony Iommi e Ronnie James Dio se conheceram em 1979 no Rainbow Bar and Grill, em Los Angeles, justamente quando o cantor procurava se reafirmar na cena através de algum novo projeto.

Entretanto, a sugestão para que Dio assumisse o posto de vocalista do Black Sabbath partiu de Sharon Arden, filha de Don Arden, empresário da banda na época (alguns anos mais tarde, Sharon se casaria com Ozzy Osbourne e assumiria a gestão da carreira solo do Madman).

Dio era conhecido por ter integrado as bandas Elf e, principalmente, o Rainbow (projeto pós-Deep Purple do guitarrista Ritchie Blackmore).

Na foto, Ronnie James Dio e Ritchie Blackmore, líder do Rainbow.

Apesar da insistência de Don Arden para que o grupo readmitisse Ozzy, Ronnie James Dio seria oficialmente contratado em junho de 1979. Cinco meses depois, Geezer Butler deixa a banda para resolver assuntos familiares. Craig Gruber (ex-companheiro de Dio no Elf) então é convocado para ser o novo baixista, mas logo seria substituído pelo lendário Geoff Nicholls (World Of Ozz, Quartz).

“Geezer Butler retornou para comandar as quatro cordas do baixo, no lugar de Geoff Nicholls, que passou a tocar teclado. Entre os baixistas, há uma grande admiração ao Geezer pela criação das linhas de baixo do álbum ‘Heaven And Hell’, que são geniais. Mas o que quase ninguém sabe, é que foi Geoff Nicholls quem criou as linhas de baixo do álbum, quando ainda atuava como o homem das quatro cordas. A única exceção é a música “Neon Knights”, que pode ser creditada seguramente a Geezer.” - trecho do artigo O membro obscuro do Sabbath.

Na foto, Geoff Nicholls, colaborador de todas as gravações feitas pelo Black Sabbath entre 1980 e 2004.

Reza a lenda que, além de Craig e Nicholls, Dio também teria feito algumas demos como baixista e vocalista do novo LP do Black Sabbath (como acontecia nos tempos de Elf).

Abaixo, uma foto rara de Ronnie James Dio empunhando um contrabaixo.

Ler mais

O MISTÉRIO DOS VOCAIS EM “SOLITUDE” E “PLANET CARAVAN”, DO BLACK SABBATH

image Existem várias lendas em torno de “Solitude” e “Planet Caravan”, duas belíssimas baladas do Black Sabbath. Mas vamos aos fatos:

A primeira foi lançada em 1971, no álbum Master of Reality. Muitos atribuem seus vocais suaves ao baterista Bill Ward, mas isso não passa de um equívoco. Ward só assumiria os vocais do Black Sabbath em “It’s Alright”, faixa do álbum Technical Ecstasy, de 1976.



Em “Solitude”, Ozzy Osbourne se revelaria um grande cantor ao diminuir o tom e acompanhar os arranjos acústicos de Tony Iommi. Também foi nessa faixa que, pela primeira vez, o guitarrista tocou flauta em uma gravação (inspirado em sua curta passagem pelo Jethro Tull no final da década de 1960).

A versão demo de “Solitude” comprova isso:

image

Já em “Planet Caravan”, lançada um ano antes no álbum Paranoid, Ozzy usa a mesma técnica vocal, recorrendo apenas a um alto falante Leslie para criar os efeitos de vibrato. Abaixo, uma raríssima versão demo da faixa.

image

Ozzy Osbourne nunca mais cantaria tão baixo quanto em “Solitude” e “Planet Caravan” (posso estar enganado). Isso faz com que as duas canções se tornem especiais dentro da discografia do Black Sabbath e do próprio Ozzy Osbourne.

image Em 2013, Tony Iommi, Geezer Butler e Ozzy Osbourne voltam a gravar um disco juntos (com Brad Wilk na bateria). Entre as faixas de 13, temos aquele que talvez seja o capítulo final das primeiras baladas da banda.

O tom de vez não mais o mesmo, é verdade, mas os arranjos de “Zeitgeist” imediatamente remetem a “Solitude” e, principalmente, “Planet Caravan”.



Para finalizar, um vídeo que conta a história de “Planet Caravan”.

___

Black Sabbath - Paranoid (pro-shot footage of Birmingham concert)

No dia 19 de maio desse ano, Ozzy Osbourne, Tony Iommi e Geezer Butler se juntaram ao baterista Tommy Clufetos para realizar o histórico show de retorno do Black Sabbath em Birmingham, terra natal do grupo. Esse foi apenas o primeiro de uma série de três shows marcados para 2012 (Download Festival em junho e Lollapalooza Chicago em agosto). O que interessa mesmo é que o lendário grupo pioneiro do Heavy Metal disponibilizou uma excelente filmagem do clássico “Paranoid” feita na O2 Academy, em Birmingham. Aumenta que é rock.

29 anos sem Randy Rhoads

No dia 19 de março de 1982, o mundo perdia Randall William Rhoads, mais conhecido como Randy Rhoads. Famoso por tocar com Ozzy Osbourne nos álbuns Blizzard of Ozz e Diary of a Madman, o guitarrista ainda é referência para nuitos músicos atuais.

Randy Rhoads foi um dos fundadores da banda Quiet Riot, juntamente com o baixista Kelly Garni e o vocalista Kevin DuBrow e, em 1979 (através do amigo Dana Strum) foi fazer um teste para a banda que estava sendo formada por Ozzy Osbourne, sendo aprovado de imediato. Como sempre, o resto é história, e aqui fica uma pequena homenagem ao gênio das seis cordas, em quatro vídeos raros em performance ao vivo - ao lado de Ozzy Osbourne: